top of page

Atuação do psicólogo com populações em vulnerabilidade é tema de simpósio


De 21 a 26 de agosto, a UNICEP realizará o XIV Simpósio de Psicologia 2023, que traz como tema principal a atuação do psicólogo com populações em vulnerabilidade.


“Nesta semana da psicologia pensamos em trazer temas que trouxessem e abrangesse diferentes populações em vulnerabilidade e como se dá a atuação do psicólogo com estes indivíduos, visando a importância do conhecimento e da escuta qualificada”, contou Leticia Cristina Guilherme, estudante do 8° período e integrante do CAUP (Centro Acadêmico UNICEP de Psicologia), responsável pela organização do evento.


Ela explicou que os integrantes do CAUP sugeriram temas gerais e com uma votação foi decidido o tema principal e a partir disso surgiram os demais temas de cada palestra.


“Acreditamos que será um momento de grande enriquecimento acadêmico e aprendizado, buscamos palestrantes que atuam, estudam e participam de projetos sociais de cada população em vulnerabilidade, deste modo trazendo experiências de grande proveito e importantes para a nossa formação como futuros psicólogos”, afirmou Letícia.


E completou: “Os estudantes devem se atentar às informações disponíveis no link de inscrição, aos temas que serão palestrados em cada dia, os dias nos quais a semana da Psicologia UNICEP está sendo ofertada, horários de início e termino das palestras e avisos gerais que são disponibilizados pelo Instagram oficial da Equipe CAUP (@caupuniceppsico).


As inscrições terão início dia 08 de agosto, terça-feira. Para se inscrever, acesse: https://forms.gle/iPqfFbTnmyy7LVYC9

Programação:


Segunda-feira, 21 de agosto, das 19h às 21h – "Psicologia, Educação e Relações Étnico-Raciais: Diálogos Possíveis e Desafios Políticos", com Ayodele e Daiane.


Daiane: Daiane Santos também assina como Abayomi Jamila. Psicóloga e mestra em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), doutoranda em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), onde pesquisa memória e trajetória de educação de mulheres negras. Possui interesse em literatura negra e nos de estudos de raça, gênero e sexualidade.


Ayodele: Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos (PPGE/UFSCar). Mestre em Educação pela mesma instituição em 2022. Graduação Pedagogia pela UFSCar. Mestre em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP) em 2011. Faz parte do NEAB (Núcleo de Estudos Afro-brasileiros) da UFSCar e do Grupo de Pesquisa do CNPq Educação das Relações Étnico-Raciais também da UFSCar.


Terça-feira, 22 de agosto, das 19h às 21h – “Atenção Psicosocial aos povos indígenas”, com Amanda Vitória (Amanda Pankará): Indígena do Povo Pankará, localizado no Sertão Pernambucano na Serra do Arapuá, fotógrafa, Vice coordenadora Geral do Centro de Culturas Indígenas (CCI), ex vice coordenadora de comunicação do CCI, estudante do Curso de Gerontologia na Universidade Federal de São Carlos, membro do Programa de Educação Tutorial PET Indígena, ações em saúde desde 2019. Gostaria da apresentação com a minibiografia, acho interessante os participantes conhecerem o que desenvolvo dentro e fora da universidade.


Quarta-feira, 23 de agosto, das 19h às 21h – “Racismo, Xenofobia e Misoginia contra a população amarela”, com Bruna e Karina.


Bruna Tukamoto: nipo-brasileira, formada em Comunicação Social - Jornalismo pela UEL, pós-graduanda em Relações de Gênero, Raça e Etnia e criadora de conteúdo sobre amarelitude nas redes sociais.


Karina Tiemi Kikuti: CRP SP 06/154094. Graduada em Psicologia. Pós-graduanda em Relações de Gênero, Raça e Etnia. Formação Profissional em Psicologia Formativa® pelo Centro de Psicologia Formativa® do Brasil. Pesquisadora e palestrante no tema de relações étnico-raciais, especificamente raça amarela. Atua na área clínica em psicoterapia individual e grupos para pessoas racializadas amarelas.


Quinta-feira, 24 de agosto, das 19h às 21h – “Questão de gênero, raça/etnia e geração”, com Carlos Moura: Filosofia pela PUC-Campinas, Mestrado e Doutorado em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos, Pós-Doutorado em Psicologia pelo Laboratório de Etnopsicologia do Instituto de Psicologia da USP de Ribeirão Preto. É autor dos livros "Consciência e Liberdade em Sartre: por uma perspectiva ética" e "Psicanálise existencial, Existencialismo e História: a Dimensão Sócio material e a Autenticidade no Processo da Construção de Si". É aluno do último ano do Curso de Especialização em Psicoterapia Psicanalítica Ryad Simon APP-CEPSI. Coordena o Grupo de Estudos "Fundamentos da Clínica Psicanalítica".


Sexta-feira, 25 de agosto, das 19h às 21h – “Consultório de Rua ou na Rua em Abordagem de saúde da população de rua”, com Fernando e Carol.


Carol: Carolina Firmino é psicóloga (UFSCar, 2019) e redutora de danos. Foi cofundadora do Grupo de Trabalho de Redução de Danos da UFSCar. Realizou pesquisa sobre promoção de saúde junto a populações vulnerabilizadas por meio do dispositivo do SUS Consultório na Rua. Atualmente no Coletivo Livre (@coletivolivrerd) coordena a Frente de Trabalho de Redução de Danos na Rua e o projeto Sarau da Calunga (@saraudacalunga), ambos voltados ao cuidado em saúde mental e redução de riscos e danos junto à população em situação de rua. Também compõe o projeto Rede Para Escutas Marginais (@redeparaescutasmarginais), um conjunto de atividades formativas de enfoque teórico-prático, ideada pelo coletivo Margens Clínicas (@margensclinicas), para enfrentamento aos efeitos psicossociais da violência de Estado.


Fernando: Formado em Psicologia pela Universidade Federal de São Carlos (2002). É Mestre em Gestão de Organizações e Sistemas Públicos (2016). Tem experiência de atuação na área clínica, com especialização em Terapia Comportamental e Cognitiva pela Universidade de São Paulo (2004). É servidor público municipal, atuando como psicólogo desde 2009. No ano de 2018, colaborou com a implantação e integrou a equipe de referência do serviço de consultório na rua do município de São Carlos. Atualmente, encontra-se vinculado a Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social, exercendo a função de técnico de referência da Seção de Políticas para a Pessoa Idosa, População Indígena e Estrangeira.


Sábado, 26 de agosto, das 9h às 11h – “Uma discussão sobre a atuação da psicologia comunitária”, com Ariante Ricco e João Maurício.


João: João Mauricio é psicólogo, graduado na UFSCar, redutor de danos e mestre em psicologia pela FFCLRP/USP. Atualmente trabalha com psicoterapia de orientação psicanalítica, é integrante do Coletivo Livre Redução de Danos e professor de graduação na UNICEP.

Ariane: Bacharela e Mestra em Psicologia pela UFSCar. Especialista em Atendimento Psicossocial a Vítimas de Violência. Doutoranda em Psicologia com ênfase em Análise e Prevenção da Violência pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de São Carlos. Integrante do Laboratório de Análise e Prevenção da Violência da UFSCar (LAPREV), pesquisando os temas: preconceito racial, direitos da população LGBTQIA+, direitos de crianças e adolescentes, políticas públicas e estratégias de enfrentamento à violência. Professora associada ao departamento de Psicologia do Centro Universitário Central Paulista (UNICEP). Promotora Legal Popular (PLP) no estado de São Paulo.


Texto: Ana Lívia Schiavone


Kommentarer


bottom of page