O CURSO



1. Denominação: Tecnólogo em Design de Interiores.

2. Tempo de integralização: mínimo de 04 (quatro) semestres letivos ou 02 (dois) anos e máximo de 08 (oito) semestres letivos ou 04 (quatro) anos.

3. Vagas: 100 (cem) vagas distribuídas entre o período diurno e noturno, em regime seriado semestral.

4. Formas de acesso ao curso: a) candidatos que concluíram o Ensino Médio antes da data da matrícula e que obtiveram classificação em processo seletivo - Vestibular; b) candidatos transferidos de outras instituições nacionais de Ensino Superior de graduação, mediante existência de vagas para o mesmo curso de origem; c) candidatos que solicitam transferência interna, visando à mudança entre cursos de áreas afins ou para outras áreas, por meio de análise e aprovação da coordenação de curso; d) candidatos portadores de diploma de curso superior de graduação, mediante existência de vagas, e e) candidatos inscritos no programa PROUNI, mediante disponibilidade de vagas.

5. Concepção do Curso: a) Resolução nº 5, de 08/03/2004, do Ministério da Educação (MEC), Conselho Nacional de Educação (CNE) e Câmara de Educação Superior (CES), que “Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Design e dá outras providências”; b) Parecer CNE/CES 436/2001, aprovado em 02/04/2001; assunto: Cursos Superiores de Tecnologia – Formação de Tecnólogos; c) Parecer CNE/CP: 29/2002, aprovado em 03/12/2002; assunto: Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Profissional de Nível Tecnológico, e d) Resolução CNE/CP nº 3, de 18/12/2002, que “Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia”, dentre outras.

6. Objetivo do Curso: oferecer uma formação sólida e integral para os futuros profissionais, através da transmissão de um amplo repertório de conhecimentos, teóricos e práticos, desenvolvidos a partir de uma estrutura de aprendizado multidisciplinar. Fornecendo assim, instrumentos e critérios para a elaboração de reflexões críticas, soluções técnicas e criativas ligadas ao processo de intervenção no espaço habitado e na paisagem, na escala do objeto, da habitação e da cidade.

7. Perfil do profissional: capacitação para a apropriação do pensamento reflexivo e da sensibilidade artística, para que o designer esteja apto a produzir objetos que envolvam sistemas de informações visuais, artísticas, estéticas culturais e tecnológicas, observados o ajustamento histórico, os traços culturais e de desenvolvimento das comunidades, bem como as características dos usuários e de seu contexto socioeconômico e cultural.

8. Disciplinas: o elenco de disciplinas, em suas relações e através de sólida formação acadêmica, está organizado de acordo com as determinações federais, de forma a dotar os egressos com as competências e habilidades requeridas para o exercício profissional adequado, a saber: a) Capacidade criativa para propor soluções inovadoras, utilizando domínio de técnicas e de processo de criação; b) Capacidade para domínio de linguagem própria, expressando conceitos e soluções em seus projetos, de acordo com diversas técnicas de expressão e reprodução visual; c) Capacidade de interagir com especialistas de outras áreas, de modo a utilizar conhecimentos diversos e atuar em equipes interdisciplinares, na elaboração e execução de pesquisas e projetos; d) Visão sistêmica de projeto, manifestando capacidade de conceituá-lo a partir da combinação adequada de diversos componentes materiais e imateriais, processos de fabricação, aspectos econômicos, psicológicos e sociológicos do produto; e) Domínio das diferentes etapas do desenvolvimento de um projeto, a saber: definição de objetivos, técnicas de coleta e de tratamento de dados, geração e avaliação de alternativas, configuração de soluções e comunicação de resultados; f) Conhecimento do setor produtivo de sua especialização, revelando sólida visão setorial, relacionado ao mercado, materiais, processos produtivos e tecnologias; g) Domínio de gerência de produção, incluindo qualidade, produtividade, custos e investimentos; e h) Visão histórica e prospectiva, centrada nos aspectos socioeconômicos e culturais, revelando consciência das implicações econômicas, sociais, antropológicas, ambientais, estéticas e éticas de sua atividade.

9. Carga horária total: 1.664 horas (hum mil, seiscentas e sessenta e quatro horas) na integralização da grade curricular, com hora/aula convencionada pela Instituição em 50 (cinquenta) minutos, sendo 1.320 horas (hum mil, trezentas e vinte horas) ou 1.584 h/a (hum mil, quinhentas e oitenta e quatro horas/aula) em disciplinas (80% do total), 200 horas (duzentas horas) em Atividades Acadêmicas Curriculares Complementares (12% do total) e 144 horas (cento e quarenta e quatro horas) em estágio supervisionado obrigatório (8% do total).




f) Tempo de integralização: diurno e noturno, com mínimo de 04 (quatro) semestres letivos ou 02 (dois) anos e máximo de 08 (oito) semestres letivos ou 04 (anos) anos;

O primeiro e segundo períodos apresentam carga horária total de 360h/a, cada um, correspondendo a aulas em cinco dias da semana, período inteiro, diurno ou noturno. O terceiro e quarto períodos apresentam carga horária total de 432h/a, cada um, correspondendo a aulas em seis dias da semana, período inteiro, diurno ou noturno. Os quatro períodos perfazem o total de 1.584h/a.


g) Portaria Autorizativa: Portaria MEC nº 400 de 29 de maio de 2015, publicada no DOU nº 102 de 01 de junho de 2015, págs 18 e 19

h) Coordenação do curso: Profa. Dra. Monica Cristina Brunini Frandi Ferreira.