Fisioterapia da UNICEP realizou mais de 560 atendimentos de pacientes pós-Covid

Em 2021, mais de 560 atendimentos foram realizados pela Clínica de Fisioterapia da UNICEP em pacientes pós-Covid. 

De acordo com as informações do Ministério da Saúde, a Covid-19 é uma infecção respiratória aguda causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, potencialmente grave, de elevada transmissibilidade e de distribuição global. O SARS-CoV-2 é um betacoronavírus descoberto em amostras de lavado broncoalveolar obtidas de pacientes com pneumonia de causa desconhecida na cidade de Wuhan, província de Hubei, China, em dezembro de 2019. Pertence ao subgênero Sarbecovírus da família Coronaviridae e é o sétimo coronavírus conhecido a infectar seres humanos.

Assim, alguns indivíduos após serem contaminados pelo vírus podem apresentar alterações respiratórias e/ou sistêmicas, necessitando de reabilitação nas mais diversas áreas de atuação da Fisioterapia. Por isso, as docentes Prof.ª Dr.ª Kamilla Tays Marrara Marmorato, Prof.ª Dr.ª Kelly Regina Serafim, Prof.ª Ms. Luciana Kawakami Jamami e Prof.ª Ms. Luciene Maria Barbieri Ázar (Coordenadora do curso), especializadas em áreas impactadas pela Covid, se reuniram para realizar esse tipo de tratamento na clínica da instituição.

De acordo com as integrantes do grupo, a clínica realiza tratamento integral direcionado a reabilitação em várias áreas da Fisioterapia como Respiratória, Neurofuncional (motora), Geriatria, entre outras, o qual é baseado em uma avaliação inicial individualizada, contemplando aspectos físicos e funcionais, bem como direcionado por meio de reavaliações periódicas.

Elas ainda explicaram que o período de recuperação é variável, depende de inúmeros fatores, dentre eles a condição clínica, comorbidades, tempo e intercorrência relacionados a internação hospitalar, inatividade física, entre outros. 

“O trabalho do fisioterapeuta é individualizado a demanda de cada paciente, podendo promover alívio dos sintomas, como falta de ar, fadiga, cansaço, dor, fraqueza muscular, entre outros, bem como prevenir complicações respiratórias, musculoesqueléticas e neurológicas, auxiliando assim, no restabelecimento da funcionalidade, com benefícios na execução de atividades de vida diárias, laborais e esportivas, o que tende a acarretar na melhora da qualidade de vida e bem-estar do paciente”.

A coordenadora do curso, Luciene, completou: “Estamos fazendo os atendimentos desde o ano passado em pacientes de São Carlos e região com muitas sequelas. Fomos os primeiros com esta iniciativa.”.

Texto: Ana Lívia Schiavone

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Compartilhe