Egresso da UNICEP empreendeu e tem sua própria Agência

O egresso do curso de Publicidade e Propaganda da UNICEP, Matheus de Oliveira Dias, concluiu o curso em 2017, e hoje tem sua própria Agência, a Plano Audaz.

“Não escolhi a Publicidade, na verdade a Publicidade que me escolheu”, afirmou Matheus, “sempre fui um cara muito ligado as artes, gosto muito de fazer foto, vídeo, a Publicidade me escolheu pelo simples fato de que as coisas aconteceram”.

Ele contou que ainda no ensino fundamental fazia muitas fotos e vídeos da turma, no ensino médio, criou uma página para brincar com os docentes da escola em que estudava: “eu e meus amigos brincávamos com isso, na época o Facebook estava em alta e fizemos tudo bombar. Eu fazia todas as artes e vídeos e viralizou, as pessoas da minha e de outras escolas curtiam, comentavam, compartilhavam, até que eu desenvolvi um vídeo para homenagear um professor que estava mudando de cidade, o vídeo também viralizou e chegou na EPTV, demos entrevista e saímos em vários veículos de comunicação, até na Ana Maria Braga aparecemos. Isso foi o sinal que eu precisava para ver que eu fazia isso muito bem”.

Ao terminar o ensino médio, Matheus foi convidado para integrar a equipe de marketing de sua antiga escola, “quando entrei na graduação já estava nesse trabalho, eu fazia toda a comunicação interna da escola, com artes e banners, também as mídias sociais e cobria os eventos que aconteciam. Foi por isso que escolhi a Publicidade, porque já desenvolvia esse trabalho. Todas as decisões que tomei ao longo do caminho me levaram a isso. Hoje, amo fazer o que faço, me sinto muito grato e feliz.”.

Ele contou que gostou muito do curso: “Principalmente pela base mercadológica, quando entrei para fazer Publicidade eu não sabia, como desempenhar aquilo que eu já tinha aptidão. Eu sabia o que eu gostava, mas não sabia como aplicar isso no mercado e o curso me deu esse âmbito mercadológico. Por exemplo, a matéria de estágio, em que pude ver o que gostava ou não de fazer.”. Foi quando começou a trabalhar em uma agência: “Entrei como Assistente de Criação e Social Media e desenvolvia a parte de mídia sociais de alguns clientes, o diretor de criação também me passava algumas tarefas, como criação de cartão de visitas, banner o que me permitia entrar mais no mercado. Pude ver bem a prática e entendi o que era viver e trabalhar com uma agência, tive a bagagem do que é essa adrenalina de ter um cliente real, trabalhar com prazo, desenvolver uma peça para um cliente, as tendências de mercado e óbvio na época meus chefes, a Larissa e o Rodolfo me ensinaram muito também.”. 

Mesmo na agência, Matheus, não deixou de trabalhar com fotografia e vídeo, fazia ensaios fotográficos e desenvolvia vídeos. “Eu desenvolvia três trabalhos, fotográfico, visual e o dia a dia de uma agência com criação gráfica e fui aperfeiçoando essas três vertentes”. Ao sair da agência o Publicitário ainda trabalhou em um banco e em uma imobiliária. 

Ao concluir a graduação resolveu abrir a própria agência. “Quando abri pela primeira vez minha agência, ela não durou seis meses, era a minha primeira experiência como empreendedor, ela se chamava Redshoot. Eu não sabia o que era ser empreendedor. Mas depois de falir, me reergui e resolvi tentar novamente com uma visão empreendedora, pois minha primeira agência fazia tudo o que aparecia, não tinha um posicionamento certo. Então abri a Plano Audaz, com uma nova proposta.”, contou.

“Tinha medo de abandonar minhas antigas tarefa, e por isso, na primeira agência eu ainda fazia fotos, vídeos e tudo mais. Mas entendi que esse era o meu erro, precisei focar. Na nova agência, só trabalho com empresas, faço fotos, mas de produtos, vídeos comerciais e não atendo pessoa física, apenas empresas. Para que todos entendam o que eu faço, pois abrir muito o leque, deixa o público perdido. Começou pelo nome que escolhi, um nome que as pessoas soubessem falar, em português, que tivesse sonoridade e que tivesse um @ único nas redes sociais, original. Entrei com uma proposta jovem e descolada.”, explicou.

Não foi fácil, Matheus explicou que o primeiro problema foi como apresentar a agência para as pessoas, como mostrar que elas precisariam da agência. “Vi que o mercado estava borbulhando de influenciadores, o meu nome sempre teve credibilidade, pois era ligado ao meu trabalho e percebi que as pessoas sempre paravam para me ouvir, gostavam das minhas roupas, dos meus sapatos. Resolvi me tornar influenciador, para poder divulgar a minha agência, a minha dúvida era como me diferenciar nesse mercado de influencers, assim, resolvi trazer o que eu faço de melhor: foto, vídeo e arte. Comecei a fazer stories profissionais, em 4k, a qualidade era muito boa, logo depois comecei a trabalhar com o feed, tudo sempre profissional. Quando meu nome começou a surgir, eu jogava a Plano Audaz e os empresários começaram a entrar em contato e foi assim que a agência começou a crescer.”. Matheus teve como cliente a Latam Airlines, o hospital Albert Einstein, entre outros, durante esse um ano e meio de existência da agência.

“Para aqueles que vão trabalhar em uma agência o que eu posso falar é o seguinte: a UNICEP vai te dar a base para que você voe, mas se você quiser voar, você precisa ser extraordinário, você precisa correr atrás, se esforçar, senão nada vai funcionar, não adianta achar que a faculdade vai te tornar um profissional excelente porque isso vai depender do quanto você se esforça para que isso aconteça”, Matheus falou e continuou: “No caso dos empreendedores, se você quer resultados extraordinários, seja extraordinário, não adianta querer começar no mercado se você não tem um diferencial muito forte, se você não inova. Rale muito, eu trabalho de 12 a 16 horas por dia e para conquistar o que conquistei precisei fazer muito mais do que as pessoas estavam fazendo. Rale bastante que dá certo, vai ser a melhor coisa que você vai fazer da sua vida, eu sinto só gratidão por tudo o que construí, é muito bom a gente construir aquilo que a gente quer, do jeito que a gente quer, é mágico. Eu idealizei uma agência com porcelanato no chão, paredes brancas e muito vidro, onde eu pudesse ver o sol e depois de três anos estou no lugar que eu pedi, mas agora estou idealizando outra coisa, quero estar no centro de São Paulo, em um prédio, com uma equipe gigante, mas sei que preciso ralar muito para isso, então bora ralar.”.

Quer fazer Publicidade e Propaganda também? Clique aqui!

Texto: Ana Lívia Schiavone

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Compartilhe