Coordenadora de Arquitetura deixa mensagem para as mulheres

Dia Internacional das Mulheres

Não vou começar dando parabéns porque hoje é um dia de lembrar das dores, dia de luta, dia de lembrar dos caminhos que trilhamos e dos que temos a percorrer.

O movimento feminista teve início no final do século XVIII, na França revolucionária, despertado pelo lema Liberdade, igualdade e fraternidade! Hoje, 230 anos depois, homens e mulheres que acreditam na construção de uma sociedade mais justa e igualitária para suas mães, companheiras e filhas ainda empunham essa bandeira.

Algumas pessoas deram suas vidas por essa causa, para que as mulheres pudessem votar, participar da vida política, para que a mulher pudesse expressar seus pensamentos e não tivessem uma vida restrita ao mundo doméstico. Para que as mulheres pudessem estudar, para que pudessem além de trabalhar ocupar posições de chefia e destaque nas atividades que exercem.

As transformações sociais são lentas e por isso dependem de todos e de cada um de nós. Estejamos alertas, a luta continua com delicadeza, talento, coragem e força! 

A construção civil, incluindo a Arquitetura e o Urbanismo, foi predominantemente um mundo masculino, embora muitas mulheres tenham participado e abrilhantado nossa profissão: Carmen Portinho, Lina Bo Bardi,  Marianne Peretti, Rosa Kliass, apenas para citar algumas brasileiras que abriram o caminho para nós. Atualmente, há uma prevalência de mulheres no Brasil, representamos cerca de 60% do total de profissionais em atividade no país. Essa é uma tendência que vem crescendo ao longo das últimas décadas. Observando-se a faixa etária dos profissionais, percebe-se que a representação feminina é maior entre arquitetos mais jovens (Conselho de Arquitetos e Urbanistas do Brasil - CAU).

Recentemente, as mulheres se mobilizaram para ter uma participação mais ativa nos órgãos de representação profissional. Fruto desse movimento, elegemos Nádia Someck, na presidência do CAU/BR, e Catherine Otondo na presidência do CAU/SP. As mulheres têm uma participação equivalente a sua representação no plenário do CAU/SP, cerca de 70%. O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), a instituição mais antiga de representação profissional no país, elegeu pela primeira vez, para o triênio 2020-2023, a arquiteta e urbanista Maria Elisa Baptista.

Que o dia 8 de março de 2021 seja mais um passo para a igualdade de gênero!

Ana Lúcia Cerávolo é docente e coordenadora do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UNICEP São Carlos.

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Compartilhe