Metodologia ativa de ensino é nova forma de desenvolvimento da educação


A mediação didático-pedagógica a distância nos processos de ensino, ocorrida através de meios e tecnologias de informação e comunicação, facilitou o acesso, o diálogo e a aprendizagem entre estudantes e professores, possibilitando o desenvolvimento de atividades educativas em lugares ou tempos diversos.

No ensino a distância, os espaços permitem que os alunos tirem dúvidas, conversem e enviem materiais, semelhante ao ensino presencial. “Promovendo a aquisição de valores na carreira, sendo uma nova opção de escolha para a qualificação profissional”, disse o docente da UNICEP, José Eduardo dos Reis. Ademais, segundo ele, é uma nova forma de desenvolvimento da educação para a interação na sociedade e no mundo globalizado.

As inovações no ensino superior, como o ensino mediado por novas tecnologias, estão revolucionando a forma como os conteúdos são absorvidos.  Segundo o mapa do Ensino Superior, elaborado pelo Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo (SEMESP) existem 1,75 milhão de universitários matriculados em cursos EAD no Brasil, um crescimento de 17,7% a mais em relação ao ano anterior. Destes, 1,59 milhão no Ensino Superior Particular.

Reis ainda afirma que as plataformas de EAD promovem diversas interações e, a cada dia, mais ferramentas são desenvolvidas e incorporadas. “Dentre as inovações destacam-se: a Inteligência Artificial, Microlearning e Gamificação, que permitem o aprendizado e atraem os alunos, reduzindo a evasão, que é preocupante nessa modalidade de ensino, pois exige uma maior organização, responsabilidade e autonomia nos estudos”, disse o docente. “O aluno pode rever as vídeoaulas quantas vezes for necessário e tem um retorno dos professores e tutores de uma forma muito mais individualizada. Entendo que o ensino a distância veio para ficar, já é uma realidade e uma alternativa frente ao ensino tradicional. O desafio para o futuro é manter a qualidade dessa modalidade e levá-la para as pessoas que ainda não têm a oportunidade de cursar o ensino superior”, finalizou.

Texto: Andrea Vergamini de Castro
 

Cadastre seu e-mail

E receba novidades exclusivas

Compartilhe